Jardim zen: lugar de meditação e contemplação | homify

Solliciter un devis

Le numéro est incorrect. Merci de vérifier le code du pays, préfixe et numéro de téléphone.
En cliquant sur 'Envoyer', je confirme que j'ai lu le Politique de confidentialité et j'accepte que mes informations précédentes soient traitées pour répondre à ma demande.
Note : Vous pouvez révoquer votre consentement en envoyant un e-mail à privacy@homify.com

Jardim zen: lugar de meditação e contemplação

Tony Santos Arquitetura Tony Santos Arquitetura
Jardin asiatique par Kirchner Garten & Teich GmbH Asiatique
Loading admin actions …

O Japão é um país de uma cultura milenar admirável e por vezes enigmática, pois nem sempre seus princípios e valores nos são compreensíveis. No Brasil, que abriga a maior comunidade japonesa fora do Japão, convivemos há mais de 100 anos com a comunidade japonesa, cujos alguns hábitos e valores têm contribuído para o enriquecimento de nossa cultura. O jardim seco de pedra japonês, conhecido no ocidente como jardim zen, é um elemento importante da cultura zen japonesa, que só recentemente tem sido difundido na arquitetura ocidental e seduzido mais adeptos.

O jardim zen representa de forma abstrata a essência da natureza e do universo e sua função é servir de espaço de meditação e contemplação. Nos seus elementos mínimos é possível reconhecermos o sentido da vida. Esta compreensão do sentido da vida é que nos traz a calma e a paz de espírito. No ocidente, o jardim zen tem sofrido adaptações e incorporado novos elementos, mas sem perder sua função tradicional e primordial de inspirar a reflexão e a contemplação.       

A criação de um jardim zen não demanda muito espaço. O fundamental é compreender a sua essência e o papel de cada um de seus elementos. Neste artigo auxiliamos você a compreender estes espaços e exibimos projetos que servirão de inspiração para você criar seu próprio jardim zen.

Elementos essenciais: areia e pedras

O jardim zen autêntico, baseado no seu ancestral Karen Sansui, jardim seco na tradução literal, é basicamente um campo raso contendo areia, cascalho e pedras, que exprimem a essência da natureza e não sua aparência real. Além do musgo presente na superfície das rochas, a vegetação é pouco utilizada nesta versão de jardim. A areia do chão é esculpida de modo a representar o movimento das ondas e as pedras são dispostas de modo a representar as montanhas.

Elemento complementar: lanterna

Jardin minimaliste par homify Minimaliste

Desde a sua reprodução e tradução pela cultura ocidental, o jardim zen tem sofrido adaptações e incorporados novos elementos construtivos, como pequenos troncos, bonsais, estátuas, lanternas, pontes, fontes e até mesmo espreguiçadeiras ou mobiliários diversos. Neste projeto, uma lanterna japonesa e a vegetação complementam a composição do espaço. Existem inúmeros modelos de lanterna. Todas representam a luz e visam a iluminar os caminhos a seguir.

Elementos complementares: fontes e esculturas

Neste projeto, além da presença dos elementos essenciais, areia e pedras, novos elementos como uma fonte e uma estátua foram incorporados ao jardim para incrementar sua composição estética e a experiência da meditação e do desenvolvimento espiritual dos usuários.

Jardim zen tradicional

Esse tipo de jardim, normalmente, possui uma extensão e aparência modestas e não são construídos para servirem de espaços de recreação, mas sim para serem contemplados a partir de um ponto específico. A posição correta do observador é fundamental para a compreensão do arranjo espacial e a disposição de seus elementos, de modo a permitir a autêntica e inequívoca compreensão do espaço e, portanto, do sentido do universo. Neste projeto, o tradicional jardim zen, localizado na parte externa e frontal de uma casa japonesa, integra-se ao interior através de uma ampla abertura e pode ser contemplado pelos moradores desde a sala de estar.

Jardim zen adaptado

Deux maisons à Hondarribia Maisons modernes par Hoz Fontan Arquitectos Moderne
Hoz Fontan Arquitectos

Deux maisons à Hondarribia

Hoz Fontan Arquitectos

A composição destes espaços evidencia o rigor compositivo e o poder de concisão dos japoneses em exprimir a complexidade da natureza e do universo através do arranjo dos mínimos elementos. De modo geral, nos jardins zen não há cores nem excessos de elementos que prejudiquem a meditação ou desvirtuem a experiência espiritual. Nesta adaptação, bambus e uma lanterna de pedra foram incorporados à areia e às pedras.

Jardim zen com mais elementos

Nesta adaptação, mais elementos construtivos, como uma ponte de madeira, e mais elementos naturais, como um lago com carpas e vegetações diversas, somam-se aos elementos essenciais do jardim zen. A água representa o ciclo da vida e as carpas, que nadam contra a corrente, representam a bravura. Apesar da sua vocação como espaço de meditação, nada impede que jardins ecléticos incorporem elementos da cultura zen para incrementar suas qualidades ambientais e estéticas e proporcione aos usuários um ambiente mais relaxante e contemplativo.

Lounge zen

A elaboração de um autêntico jardim zen requer obediência aos princípios tradicionais da cultura zen e poder de concisão para capturar e expressar a essência da natureza, mas você pode criar a sua própria versão de jardim de zen, adotando os elementos que mais traduzam esta essência, que permitam uma experiência relaxante de meditação e de compreensão do sentido da vida. Neste último exemplo, o fogo e o mobiliário incrementam o conforto e a experiência de contemplação da natureza.

Maison de Village Maisons modernes par Lautrefabrique Moderne

Besoin d’aide pour votre projet de maison ?
Contactez-nous !

Trouvez l’inspiration pour votre maison !